5 simples passos para trabalhar com máximo foco e eficiência – O Guia Definitivo

Sua vida profissional pode decolar. Seus projetos pessoais também. Sua vida inteira pode decolar.

Você gostaria de decolar rumo aos seus maiores sonhos? Claro que gostaria!

Para que isso aconteça uma coisa é absolutamente necessária: trabalhar. É provável você já faça isso todos os dias, mas é sempre possível melhorar.

Para decolar na vida é preciso trabalhar com máxima eficiência e não apenas trabalhar.

Mas o que é trabalhar com máxima eficiência? E como trabalhar assim?

Esse artigo será um guia simples, completo e confiável para fazer toda a sua vida decolar.

Passo a passo, iremos aprender em detalhes tudo o que você precisa saber para trabalhar como você jamais imaginou, e isso fará uma enorme diferença na sua carreira profissional e nos seus projetos pessoais.

Esse artigo foi escrito com um objetivo claro: transformar você em alguém mais produtivo imediatamente após você terminar a leitura.

Está inseguro em relação a promessa que estou fazendo? Deixe a desconfiança de lado, faça uma leitura atenta e coloque em prática o método que ensino em meus programas de coaching.

Continue lendo. Aqui estão os assuntos que abordaremos:

  • O verdadeiro significado de trabalhar com eficiência
  • Por que trabalhar demais é improdutivo?
  • Timebox, a peça fundamental do seu novo estilo de trabalho
  • Os 5 passos para você começar a trabalhar com máxima eficiência

O que significa, afinal, trabalhar com eficiência?

Trabalhar com eficiência consiste em concluir cada tarefa esforçando-se para não deixar “pontas soltas”. Consiste em trabalhar com ordem, zelo e concentração.

Ser eficiente no trabalho não significa ser perfeito nos mínimos detalhes, como muitas pessoas parecem acreditar.

São duas as principais razões para desejarmos a perfeição em nossas atividades:

  1. Preciosismo. O preciosismo é a dedicação desnecessária aos detalhes insignificantes ou de pouca importância. Esteja sempre atento ao tempo que você costuma perder com detalhes que dificilmente serão percebidos por outras pessoas.
  2. Vaidade. A perfeição humana é sempre relativa. Sempre teremos imperfeições e pontos de melhoria em uma tarefa ou projeto. Abandone a vaidade de “querer ser perfeito através da perfeição do seu trabalho” e siga adiante. Há muito trabalho a ser feito e a vaidade está roubando seu tempo.

Trabalhar com eficiência significa honrar a nossa fantástica capacidade de trabalho e alcançar resultados que estejam à altura das nossas habilidades e conhecimentos.

O preciosismo e a vaidade só atrapalham o nosso progresso e nos fazem realizar menos do que poderíamos.

Um trabalho bem acabado e feito com um empenho cuidadoso é suficiente. Você colherá grandes frutos se trabalhar com essa mentalidade.

Por que trabalhar demais é improdutivo?

Quando trabalhamos estamos usando dois recursos básicos:

  1. A nossa capacidade de foco
  2. Os recursos mentais necessários ao trabalho que temos em mãos

O que talvez você não tenha percebido é que, enquanto trabalhamos, nós estamos consumindo esses recursos.

Sim, a nossa capacidade de foco e os recursos mentais que usamos para trabalhar se gastam.

A capacidade de nos mantermos atentos ao trabalho – a capacidade de foco – está sendo consumida quando estamos focados numa atividade.

Do mesmo modo, os recursos mentais que usamos para raciocinar e solucionar problemas são como o combustível de um veículo e são usados quando estamos trabalhando.

Se esses recursos não forem renovados regularmente torna-se progressivamente mais difícil manter-se focado e concluir atividades.

O ponto em questão aqui é: trabalhar demais é improdutivo, por mais estranho que essa declaração possa parecer.

E como podemos renovar regularmente os recursos necessários ao trabalho?

Precisamos estabelecer pequenos intervalos que permitam a  renovação dos nossos recursos entre uma atividade e outra.

O descanso e as pausas entre as atividades são quase tão importantes quanto o próprio trabalho. Sem eles você estará sempre trabalhando “com o tanque vazio” e terá sérias dificuldades para manter-se focado e concluir tarefas.

Vamos aprender agora como fazer um uso simples e inteligente das pausas entre as atividades.

Aplicar a técnica que irei ensinar agora pode melhorar radicalmente os resultados do seu trabalho.

Timebox, a peça fundamental do seu novo estilo de trabalho

Um timebox (caixa de tempo, em inglês) é um período definido de tempo a ser usado para a execução de uma atividade. Trata-se de uma técnica de produtividade muito popular.

Ela tem dois objetivos principais:

  1. Evitar que deixemos o tempo de trabalho em uma tarefa correr livremente, combatendo assim o desperdício de tempo.
  2. Definir períodos de trabalho nos quais estaremos 100% focados na tarefa que temos em mãos.

Você já percebeu que é possível passar um dia inteiro – ou muitos dias! – trabalhando numa tarefa que poderia ser concluída em algumas horas ou minutos?

Podemos passar muito tempo aprimorando detalhes, corrigindo minúsculas imperfeições e incluindo coisas novas em uma atividade ou projeto.

Se nos dermos um tempo ilimitado para concluir uma tarefa, certamente seremos pegos na Lei de Parkinson, que tornou-se mundialmente conhecida após ser publicada na revista The Economist em 1955 e que diz:

O trabalho se expande de modo a preencher todo o tempo disponível para a sua realização. Cyril Northcote Parkinson

Esse é um problema muito comum e nós já falamos sobre ele: trata-se do velho desperdício de tempo por preciosismo ou vaidade.

O timebox é a ferramenta que nos fará evitar essa armadilha. Eis alguns exemplos de timeboxes para que possamos entender seu funcionamento na prática:

  • 15 x 5. Quinze minutos de trabalho 100% focado seguidos de 5 minutos de intervalo.
  • 25 x 5. Vinte e cinco minutos de trabalho 100% focado seguidos de 5 minutos de intervalo.
  • 45 x 10. Quarenta a cinco minutos de trabalho 100% focado seguidos de 10 minutos de intervalo.

A estrutura de um timebox, como você deve ter percebido, é Tempo de Foco x Intervalo e você está livre para definir os seus próprios timeboxes.

Defina timeboxes adequados ao tipo de tarefa que tem em mãos e aos seus estados de espírito, físico e mental. Darei um exemplo concreto adiante e isso ficará bastante claro.

Precisamos fazer duas observações importantes sobre os exemplos citados acima:

  1. A expressão “100% focado”. Um timebox sempre significa um período de trabalho intenso, concentrado e livre de toda e qualquer distração.
  2. Os períodos de intervalo. Já aprendemos que trabalhar sem intervalos pode ser bastante improdutivo. Sempre defina períodos de descanso entre a execução de um timebox e outro.

Os períodos de intervalo devem ser usados para atividades leves: um alongamento ou caminhada, uma ida ao banheiro, um copo d’água, um café, uma conversa relaxada etc.

Vejamos agora todos os conceitos e idéias vistos até aqui trabalhando juntos em um método prático de 5 passos muito bem estruturado.

Se algo não ficou muito claro até aqui eu peço que não se preocupe, pois as coisas ficarão totalmente claras agora. Vamos em frente!

Os 5 passos para trabalhar com máxima eficiência

Hora de aprender a trabalhar de maneira poderosa e fazer sua vida profissional e seus projetos pessoais decolarem!

Seguindo cuidadosamente as 5 etapas abaixo você estará pronto para elevar o seu trabalho à um novo patamar assim que terminar esta leitura.

Para ajudar você a consolidar essa nova forma de trabalhar, eu preparei um resumo desta estratégia para download. Você poderá baixá-lo no final da leitura.

Vamos ao nosso processo de 5 passos para revolucionar a sua forma de trabalhar. Esse é exatamente o método que eu uso e ensino meus clientes a usarem em meus programas de coaching.

1. Defina claramente a tarefa a ser executada

Um dos comportamentos improdutivos mais comuns entre nós é o péssimo hábito de pular de uma tarefa para outra sem terminar nenhuma delas.

Fazemos isso repetidas vezes e de maneira completamente arbitrária, sem sequer pensar sobre por que deveríamos abandonar uma tarefa incompleta e iniciar outra.

Basta que outra demanda nos seja apresentada – por um colega de trabalho, pelo nosso sistema pessoal de organização, pela nossa memória – e nós rapidamente saltamos para algo novo.

Sabe aquela sensação frustrante de não ter concluído nada após um dia cansativo de trabalho? Esse hábito é uma das razões para nos sentirmos assim.

O primeiro passo para trabalhar com eficiência é assumir o propósito firme de concluir as tarefas com as quais nos envolvemos.

Para que isso seja possível devemos aprender a decidir com firmeza.

Faça a si mesmo duas perguntas simples na próxima vez em que você estiver em seu ambiente de trabalho:

  1. Vou começar a trabalhar agora?
  2. Em qual tarefa irei trabalhar?

Defina com firmeza a tarefa a ser feita e faça o propósito firme de trabalhar nela até sua conclusão.

No caso de uma tarefa grande ou complexa demais para ser terminada de uma única vez, defina com clareza qual parte da tarefa deverá ser concluída agora.

É claro que existirão situações onde abandonar uma tarefa para iniciar outra será necessário – as conhecidas emergências –, mas evite abandonar uma tarefa com a qual você se comprometeu se isso não for extremamente necessário.

Resumo do primeiro passo:

  1. Defina com firmeza a tarefa (ou a parte da tarefa) na qual você irá trabalhar
  2. Comprometa-se a trabalhar nela até concluir o que precisa ser concluído

Vamos aos segundo passo!

2. Defina a relação Tempo de Foco x Intervalo (Timebox)

Aqui está outro grande erro cometido por aqueles que desejam colher grandes resultados com o seu trabalho: deixar o tempo correr livremente.

Esse é um erro clássico, mas a partir de hoje você estará livre dessa armadilha!

Depois de definir a “tarefa da vez”, o segundo passo é definir o timebox a ser usado para executar a tarefa escolhida.

Vou dar aqui o exemplo mais concreto que posso dar no momento: a escrita deste artigo que você está lendo agora.

O timebox definido por mim para a escrita dele foi de 25 x 5. Ou seja: 25 minutos de escrevendo – sem interrupções, 100% focado – seguidos de 5 minutos de intervalo para descanso.

Durante os intervalos costumo beber água, ir ao banheiro, fazer alongamentos rápidos ou simplesmente olhar pela janela.

Mas apenas definir o timebox a ser usado em uma tarefa não garante que ela seja concluída. Dois cuidados precisam ser tomados:

  1. O timebox precisa ser realista e justo. O tempo alocado para a tarefa não pode ser tão curto a ponto de comprometer a qualidade do trabalho e nem tão longo a ponto de permitir que você perca o foco durante a execução.
  2. O foco precisa ser total. A sua atenção e energia devem estar 100% dedicadas ao trabalho que você está realizando enquanto durar o tempo que você definiu para a tarefa.

Lembre-se também de levar em consideração a sua disposição para o trabalho naquele dia. Há dias de alta e de baixa energia produtiva e você precisa considerar isso.

Por exemplo: nos dias em que estou inspirado para escrever um novo artigo eu uso um timebox de 25 x 5, mas nos dias em que estou mais cansado ou “de saco cheio” eu posso usar um timebox de 15 x 5 ou mesmo de 10 x 5.

O grande segredo para bons resultados no trabalho é ser capaz de manter-se 100% focado na execução da atividade que foi definida anteriormente.

Use os timeboxes com inteligência e você alcançará bons resultados, mesmo que não esteja num dia bom.

Há muitas ferramentas de timebox disponíveis na internet, mas gostaria de recomendar para você o Moosti. Ela é simples, prática e útil.

Antes de continuarmos, uma pergunta: você está gostando da leitura? Então cadastre-se abaixo para receber os novos artigos do blog em primeira mão.

Receba as atualizações do blog!

Vamos em frente. Hora de abrirmos caminho para um trabalho livre de interrupções.

3. Mantenha o celular fora do seu alcance

Se os dois erros descritos acima são relativamente sutis, esse é absurdamente comum, vulgar e grosseiro: usar o seu smartphone enquanto “trabalha”.

A cena é clássica: você tem uma tarefa em mãos e está o tempo todo se dispersando no WhatsApp, no Facebook, no Instagram, no Twitter etc.

Se quiser mais resultados das suas horas de trabalho, terá que abandonar esse hábito.

Não há muito a negociar aqui. Você certamente tem consciência total de que o uso desordenado que faz do seu smartphone enquanto “trabalha” te faz realizar muito menos do que poderia.

Vamos dar um jeito nisso em 3 passos simples:

  1. Desabilite Wi-Fi, 3G, 4G ou qualquer outra conexão com a internet
  2. Habilite o “modo silencioso” ou o “modo avião”
  3. Tire-o do seu alcance

Vamos eliminar qualquer possibilidade de usarmos o celular enquanto estivermos dentro do período de tempo (timebox) que definimos para trabalhar 100% focados em uma tarefa.

Desabilite a conexão com a internet, as notificações sonoras e coloque o celular dentro da sua gaveta, da sua bolsa, do seu guarda-roupa etc.

Em resumo: mantenha o celular longe de você para evitar aquele “comportamento automático” – aquele mau hábito – de pegar o telefone assim que qualquer oportunidade mínima aparece.

Depois de livrar-se do seu smartphone é hora de continuar a limpeza que irá abrir caminho para o trabalho ordenado e produtivo que fará sua vida profissional e projetos pessoais acontecerem.

4. Faça Log Out nas redes sociais e no seu e-mail e feche as abas do seu navegador

Hora de eliminar mais alguns sugadores de atenção e tempo.

O objetivo aqui é exatamente o mesmo que desejamos alcançar quando tiramos o celular do nosso alcance: abrir caminho para um trabalho 100% focado.

Três ações simples devem ser tomadas agora:

  1. Faça Log Out (Sair) em todas as redes sociais
  2. Faça Log Out (Sair) em seu e-mail
  3. Feche todas as abas do seu navegador cujos conteúdos não sejam necessários para a realização da tarefa que será iniciada

Resumindo: livre-se de todas as fontes de distração que tenham potencial para tirá-lo do estado de foco total no qual você deve mergulhar quando iniciar a execução de uma tarefa.

Agora que o caminho está livre é hora de fazer acontecer!

5. Ative o cronômetro e trabalhe com o caminho livre

A tarefa foi escolhida por uma decisão firme e o timebox a ser usado também. Ótimo!

O seu smartphone está silencioso e fora do seu alcance. Excelente!

O seu navegador agora está livre de todo excesso informação e de todas as possibilidades de distração: você saiu das redes sociais e fechou as abas que não tinham relação com a tarefa que você escolheu executar. Fantástico!

Agora aperte o botão do seu cronômetro e cumpra o compromisso de manter-se trabalhando na tarefa escolhida até o término do tempo acordado.

Ao término de cada período de trabalho 100% focado, faça bom uso do seu tempo de intervalo: levante-se, beba água, alongue-se, caminhe, converse um pouco etc.

Após o período de intervalo prepare-se para reiniciar todo o processo: identifique a próxima tarefa (ou etapa de uma tarefa que já foi iniciada) na qual irá trabalhar, defina um novo timebox, remova as fontes de distração e mergulhe de cabeça no trabalho.

Conclusão: Recapitulando os passos para trabalhar com eficiência

Pense comigo: quanto você poderia produzir se seguisse esse método de trabalho por um dia inteiro? Será que você conseguiria realizar mais do que está realizando atualmente? Aposto que sim.

E se você trabalhasse assim durante uma semana? E durante um mês? Que tal um ano inteiro?

E se esse fosse o seu método de trabalho permanente? Os resultados seriam absolutamente fantásticos, não seriam? Pense nisso.

Vamos relembrar os 5 passos para trabalhar com eficiência:

  1. Defina com clareza a tarefa a ser feita e faça o propósito firme de trabalhar nela até sua conclusão
  2. Defina o Timebox a ser usado para a execução da tarefa
  3. Mantenha o celular off e fora do seu alcance
  4. Faça Log Out (Sair) nas redes sociais e no seu e-mail e feche as abas do seu navegador cujos conteúdos não sejam necessários para a realização da tarefa
  5. Ative o cronômetro e trabalhe com o caminho livre e 100% focado

Para ajudar você a lembrar e consolidar todos os passos dessa nova forma de trabalhar, baixe o passo a passo a ser seguido por você já na sua próxima atividade.

A minha sugestão é que você o imprima e o mantenha visível em algum lugar no seu ambiente de trabalho, assim você poderá consultá-lo com frequência até que essa estratégia torne-se um hábito.

Para terminar eu tenho uma pergunta: você conhece alguém que poderia ser beneficiado por esse método de trabalho?

Então compartilhe esse artigo com ela usando os botões acima.

Você pode compartilhá-lo no Facebook, Twitter, Google+ ou copiar o link desse artigo e enviar para os seus amigos e contatos.

Eu também gostaria muito de ouvir sua opinião e conversar sobre suas dúvidas. Deixe um comentário abaixo.

E para não perder os próximos artigos, cadastre seu e-mail no campo abaixo ou ao lado, assim você receberá todas as novidades em primeira mão.

Desejo o melhor para sua vida e estou aqui para ajudar você no que for preciso.

Um grande abraço e até breve.

André Valongueiro


Coaching com André Valongueiro

  • Fernanda

    Pomodoro technique desde q conheci o mude.nu e vc André aprendo mto sobre produtividade! Excelente artigo!

    • Obrigado, Fernanda. Embora eu não tenha citado nominalmente a técnica pomodoro ela está implícita no conteúdo do artigo e você a percebeu. Torço para que você faça bom uso do artigo e que ele a ajude a alcançar grandes realizações através do seu trabalho em 2015.

      Um abraço!

  • Dionyso

    Ótimo artigo mano brow! Achei que vc evoluiu muuito do último artigo para esse aqui! Está sensacional!

    • Grande João, obrigado meu brother. Me esforcei muito para superar o antigo anterior e espero manter um excelente nível de qualidade em tudo o que eu publicar por aqui. Nos vemos em breve na cidade maravilhosa! 🙂

      Um abraço!

  • Tatiane Camargo

    Muito bom texto! Meu desafio de todos os dias…

    • Tatiane, foi exatamente pensando em pessoas como você, que lutam com as tarefas de todos os dias, que tomei a decisão de produzir esse guia.

      A minha preocupação máxima foi fornecer um método sólido de aplicação para diversas boas práticas e técnicas de produtividade, formando um senso de unidade que raramente se encontra em um artigo sobre produtividade publicado na internet brasileira. Sempre tive muita carência de um material como esse, então tomei a decisão de produzi-lo eu mesmo.

      Espero que ele o ajude a vencer esse desafio de todos os dias e que possa ser de grande utilidade para a realização dos seus projetos pessoais e profissionais nesse 2015 que se inicia.

      Um abraço e obrigado pela participação!

  • Felipe Medeiros

    Artigo sensacional, parabéns.

    Há algum tempo venho me policiando a trabalhar assim e apesar de as vezes me perder no meio dos timeboxes, eu vejo que o fluxo e a qualidade do que faço cresceu significativamente. Acho que o que ainda me desvia, são os contatos por comunicadores ou pessoas que vem até a sua mesa falar de algo, mesmo que de trabalho. É difícil explicar que não pode falar naquele momento, ou pedir para esperarem 10 minutos até o timebox acabar, hehe.

    No moosti temos uma opção de “shortbrk” e “longbrk”, sei sobre a “longbrk” por já ter lido sobre a técnica Pomodoro, porém, você não a cita. Qual a diferença de uma pausa dessas? Você não as citou, por não considerar válida? Eu não costumo fazer, acho que atrapalha o fluxo, mas apo´s ler o artigo, fiquei me perguntando se não é porque de tempos em tempos precisamos de uma recarga mais. (e aí, estou me atrapalhando).

    Muito obrigado pelo conteúdo.

    Valeu!

    • Obrigado, Felipe!

      As interrupções em ambientes de trabalho são realmente um grande problema. Hoje praticamente não as enfrento, pois quase sempre trabalho em casa ou em cafés, mas acho que você poderia tentar educar as pessoas que trabalham com você a evitarem fazer interrupções quando você estiver trabalhando focado em algo. Aos poucos elas vão entendendo.

      Na época em que trabalhava em escritórios com muitas pessoas eu consegui bastante sucesso ao educar os meus colegas de trabalho nesse sentido. Muitos deles inclusive passaram a trabalhar da mesma forma.

      No Moosti, o termo “shortbrk” se refere a Short Break (Intervalo Curto) e o termo “longbrk” se refere a Long Break (Intervalo Longo). Eu realmente não as citei no artigo, mas farei uma edição para colocá-las por lá. Sua pergunta está ajudando a melhorar o artigo.

      A diferença entre as pausas é apenas de tempo. Existe uma recomendação – e eu também a faço aqui para você – para que façamos uma pausa maior após algumas pausas mais curtas. Isso serve para dar aquela “carga extra” nas baterias da produtividade.

      Por exemplo, você pode realizar 3 timeboxes de 25 x 5 e depois disso realizar um timebox de 25 x 15. Será que fui claro? Espero que sim. Qualquer nova dúvida é só deixar a sua pergunta e vamos conversando, OK?

      Um grande abraço e obrigado pela participação!

      • Felipe Medeiros

        Que isso, perguntando estou ganhando, obrigado por responder.

        Tentarei, trabalhar dessa forma. Só verificarei os comunicadores nas paradas, e caso algo seja urgente, virão falar comigo mesmo, assim, acredito que resolva a questão. Valeu pela ideia.

        Foi claríssimo, a dúvida era mesmo essa. Se a longbreak é necessária e porque. Por hora, sem mais dúvidas. Muito obrigado mais uma vez.

        Abraço.

        • Sou eu quem agradeço, Felipe. Um abraço e sucesso!

          • Felipe Medeiros

            Oi André, ó eu aqui de novo haha.

            Tenho mais 1 dúvida:

            Tem alguma leitura adicional a indicar sobre a parte do “preciosismo”? Acho que caio nessa falha, na verdade interpretava como uma falha técnica, de não saber o mensurar o necessário, ingenuidade, mas acredito que não seja esse o caso, pois não é uma coisa difícil de se enxergar refletindo.

            Ah! E tenho uma indicação, eu vinha usando o “Tomighty” como timer, acho bacana por ser uma opção de desktop, que funcionaria mesmo com internet desligada e outras situações. Bom, é só uma outra ferrament, espero que não tenha problema. O link é: http://www.tomighty.org/

            Valeu!

          • Felipe, realmente não conheço nenhum livro sobre esse tema do preciosismo, mas não acho que você deva investir o seu tempo em uma leitura sobre o assunto. Acho que melhor seria procurar por meios de vencer a dificuldade, em vez procurar entendê-la com profundidade. Acho que podemos deixar essa investigação para os psicólogos. 🙂

            Bem legal o Tomighty, eu não o conhecia. Tão simples quanto o Moosti, mas com o diferencial interessante de ser uma aplicação desktop. Excelente sugestão, seguramente será de utilidade para aqueles que estiverem lendo o nosso papo.

            Um grande abraço e obrigado pela participação mais uma vez!

          • Felipe Medeiros

            Entendo André, muito obrigado pela ajuda =)

            Abraço!

          • Sou eu quem agradeço. Disponha.

  • Rodrigo Vieira

    André, só tenho duas palavras: MUITO FODA (já pode perdoar o palavrão, haha). Simplesmente incrível este artigo, eu já ouvi falar da técnica Pumodoro, dos timebox e etc, mas o modo como você a abordou neste artigo é simplesmente sensacional. O melhor deste artigo é que ele oferece uma dica que é bastante simples de ser implementada e executada no dia-a-dia e que se tornada um hábito, pode realmente, como os anúncios gostam de dizer, “duplicar a sua produtividade”.

    Este artigo seguiu o mesmo caminho do rotina matinal, igualmente incrível e espetacular. Já comecei a rotina desde a hora em que eu li o artigo passado e agora pretendo começar a seguir essa dica também, e executar pelo menos dois timebox por dia. O melhor é que timebox não precisa ser só para o trabalho, pode ser para a leitura, pode ser para milhões de coisas!

    Novamente, meus parabéns André! Muito obrigado por fornecer para nós este conteúdo de incrível qualidade!

    • Já está desculpado pelo palavrão, Rodrigo. Na verdade fico feliz pelo seu ânimo ao elogiar o artigo! 🙂

      A minha idéia foi produzir um artigo que pudesse fornecer uma estratégia unificada de aplicação de algumas boas práticas e técnicas de produtividade. Penso que a missão foi cumprida.

      Realmente os timeboxes servem para um imenso número de atividades e eu os tenho usado para quase todo o trabalho que executo diariamente. Agora mesmo defini um timebox de 15 minutos para responder todos os comentários que tive no Blog nos últimos dias, incluindo esse.

      Obrigado pelas palavras e pela participação, Rodrigo. Torço para que faça excelente uso dos guias que estou publicando por aqui.

      Um grande abraço!

  • Renato P. Barbosa

    Excelente texto André, certamente vai me ajudar muito nas minhas tarefas pessoais. Entrei no seu site pela primeira vez hoje lendo esse artigo e gostei muito do que vi, já me cadastrei no site para receber as atualizações.
    Um abraço

    • Obrigado, Renato. Torço para que você realmente comece a trabalhar segundo esse método e que isso o ajude a vencer cada etapa necessária de trabalho para alcançar o que você deseja. Novos guias virão por aí, assim como conteúdos diversos, incluindo vídeos. Obrigado pela confiança em me deixar escrever para você!

      Um grande abraço e conte comigo para o que precisar!

  • Leonardo

    André,

    Excelente artigo! Hoje em dia estamos executando, cada vez mais, multitarefas. E realmente é impossível você manter o foco com as distrações citadas no artigo, volta e meia leio e-mails do trabalho ou mensagem no WhatsApp que acabou de chegar. Vou tentar definir minha timebox e começar a praticar.

    • Obrigado, Leonardo!

      Coloque o método em prática e, caso possua qualquer dificuldade, volte aqui para solucionarmos a suas dúvidas, OK? Estou aqui para ajudar!

      Um grande abraço!

  • Oi André! Estou gostando bastante dos seus posts por aqui. Esse em particular me chamou bastante atenção, pois já havia lido sobre o método Pomodoro, que acredito ser basicamente o que você explicou aqui, mas na época em que li, não havia entendido! hahaha Explicação boa é tudo, e definitivamente você tem o dom pra isso 😀
    Aproveito para deixar um pedido, apesar de acreditar que os timeboxes irão me ajudar bastante: eu sempre tive dificuldade de lidar com muitos assuntos diferentes no mesmo dia. Isso porque um dos assuntos sempre acaba se sobressaindo e eu foco demasiadamente nele o dia todo e me esqueço do resto. Acho que pode ajudar definir um conjunto de timeboxes para cada assunto, porém a minha maior dificuldade é “desligar” de um assunto e começar a focar em outro. Se tiver mais sugestões sobre como fazer essas trocas de foco durante o dia, agradeço se compartilhar 🙂
    []’s

    • Olá, Pamela. Bom tê-la por aqui. Fico feliz que esteja gostando! 🙂

      Sim, a técnica Pomodoro está implícita no artigo, mas não a citei nominalmente porque ela não prescreve timeboxes com durações diferentes com base nos nossos estados mentais e de disposição em um determinado dia. É uma técnica inflexível e isso não me agrada muito.

      A sugestão para fazer essas trocas de tarefas é efetivamente obedecer ao som emitido quando um período definido de trabalho (um timebox) termina. Tocou o som? Pule fora da tarefa que está fazendo, faça um pequeno intervalo e então inicie outra tarefa. É isso.

      Eu também passo por esse mesmo problema, mas já aprendi a respeitar o tempo de trabalho determinado para cada atividade. Quando ouço o som que indica o fim de um timebox eu simplesmente o respeito e sigo adiante. Trabalhar assim é muito bom.

      Espero ter iluminado um pouco sua dúvida! 🙂

  • Andre Soares

    precisa pagar?

  • Angelo Ribeiro

    Excelente texto André! Ja imprimi o resumo e colocarei perto da minha estação de Trabalho! 😀
    Venho seguinto timebox a um tempo, porém não 100% do tempo, então as dicas adicionais de avaliar o meu estado de energia e definir timebox diferentes e de definir claramente a tarefa foram excelentes.

    Ainda tenho que melhorar a segunda parte, ou seja, de como me organizar melhor para definir a tarefa e ter idéia de quantos timebox levarão para eu conclui-la. E quando tomar a decisão de fazer essa tarefa por X timebox para poder executar outras tarefas no seu dia. Como voce falou, voce escreveu o artigo em 3 dias, imagino pq voce limitou a quantidade de timebox por dia dedicado ao artigo para que voce pudesse executar outras tarefas. Nao foi isso?

    Um grande abraço e obrigado!

    • Agora ninguém segura o Angelo! 🙂

      O grande problema com técnicas de timebox como a Pomodoro é justamente a inflexibilidade quanto a duração do timebox. Percebi esse problema logo nas primeiras vezes que experimentei a técnica. Ninguém está 100% em 100% dos dias, não é mesmo?

      Exatamente. Eu tenho uma certa quantidade de timeboxes por dias para escrever, pois preciso cuidar de muitas outras tarefas. Um dos grandes benefícios de trabalhar dessa forma é que não deixamos o tempo correr livrement. Isso evita aquele sensação negativa de chegarmos ao fim de um dia de trabalho sem termos feito muita coisa.

      Um abração e até breve!

  • Dante Barleta Neto

    André,

    Ótimo artigo. Já havia antecipado o aprendizado de alguns destes conceitos e técnicas, mas reler/reestudar o conteúdo nos faz consolidar as mudanças. Muito obrigado a indicação. Tenho certeza que ajudará muito gente, assim como me ajudou.

    Abraço

    • Obrigado, Dante.

      Nesse guia todas as coisas que estudamos dispersas por aí formam um método único. A minha idéia ao escrevê-lo foi exatamente essa. Torço para que tire o máximo de proveito dele, pois trabalhar dessa forma seguramente potencializa os resultados de qualquer projeto pessoal ou profissional.

      Um grande abraço e obrigado pelo comentário!

  • Julio Cezar Martins Junior

    Olá, eu tenho um blog, fala sobre fotografia, e achei sua matéria apropriada, eu gostaria de pedir se posso postar a matéria no meu blog, e claro colocar os créditos e fonte sendo como suas?

    agradeço.

    • Julio, fico feliz que tenha gostado do artigo, mas realmente prefiro que o conteúdo não seja replicado em outro espaço. Mas em vez disso você poderia escrever um pequeno post sobre o meu artigo em seu blog e então colocar o link para que os seu leitores viessem ler o artigo completo aqui. Penso que essa seria a solução ideal.

      Um grande abraço e obrigado pelo comentário!

      • Julio Cezar Martins Junior

        André, obrigado pela resposta, então irei escrever algo usando a essência do seu post, mas voltado para fotografia, e te envio o texto para ver se você aprova!

        abraços

        • Julio, você pode escrever e publicar o post diretamente. Se mencionar o meu artigo como fonte de influência e publicar um link para cá eu já ficarei muito grato. Obrigado pela força! 🙂

          • Julio Cezar Martins Junior

            acho que não me expressei direito, mas é isso mesmo que quero fazer kkkk bom, caso depois que eu faça você queira dar uma olhada eu te mando o link ok.

            muito obrigado mesmo!

  • Gabriel Marques Duglokinski

    Realmente muito esclarecedor esse seu artigo André. Eu já tentava fazer algo parecido com o TimeBox, quando ao longo do dia fazia pequenas pausas que de certa forma me faziam produzir mais do que se ficasse 100% do tempo debruçado sobre determinada tarefa… Mas não conhecia o conceito TimeBox e passarei aplicá-lo (vou usar o cronômetro do relógio pra me controlar). E os 5 passos são realmente sensacionais, vou aplicar na minha rotina diária e volto aqui pra contar os resultados.
    E podes produzir mais artigos desse tipo, pois o anterior sobre a rotina matinal já tem me ajudado muito a ter um dia épico, e tenho certeza que este artigo vai me ajudar muito na questão do foco, pois eu facilmente me distraio com muitas tarefas.
    Abração Valongueiro

    • Olá, Gabriel. Torço para que os passos ensinados no guia façam a difrença na sua maneira de trabalhar e cumprir projetos. É sempre bom receber feedbacks como o seu e me assegura de que estou indo no caminho certo.

      Continue acompanhando as coisas aqui, pois seguramente produzirei mais artigos nesse formato.

      Um grande abraço e bons estudos. Hora de levar o estilo de trabalho para um novo patamar! 😉

  • Maílson

    Conteúdo bom já compartilhado!

  • Alessandra Doni

    Muito bom, vou colocar em prática.

    • Boa, Alessandra!

      Esse simples método de 5 passos faz toda a diferença para quem está procurando aprender a trabalhar com ordem, organização e sem ansiedades. Torço para que você obtenha os resultados que procura e merece!

      Um abraço e tudo de bom!

  • Letícia

    André, realmente, o celular é algo que tira muito a distração do trabalho. Se estou conectada, fico recebendo e-mails, notificações do facebook, mensagens no whatsapp…., às vezes até me canso de tantas notificações e ainda que esteja no modo vibrar, o som dele vibrando me cansa também e acabo desconectando rs.
    Mudando de assunto, trabalho numa empresa chinesa e já ouvi um comentar que nós brasileiros estamos sempre rindo, que não trabalhamos muito….. me sinto tomada pela pressão, pressão das datas a cumprir, do horário para finalizar, das divergências para explicar…. Ficar parada até mesmo lendo algo me faz sentir como se estivesse “coçando”.

    • Eu entendo esse sensação de pressão, Letícia. É algo que realmente oprime. Mas quem disse que “trabalhar muito” é sempre positivo? O trabalho deve ter um sentido, um motivo que o faça digno e nobre. Qual o seu?

      Trabalhe com zelo, com diligência, cumprindo suas tarefas com ordem, de maneira bem acabada, evitando fazer um trabalho “marretado”. Trabalhe com amor: isso basta para fazê-la uma boa profissional e uma boa trabalhadora. O resto é besteira.

      Um abraço!

  • Grande Valongueiro!

    Que artigo primordial para quem busca execução correta em suas tarefas. Eu que sou uma pessoa quase que tarada por foco e produtividade me vi pecando em uma ou duas idéias citadas aqui.

    Muito bom mesmo! Parabéns!

    • Fala, Chico!

      Tenho certeza de que você já produz muito bem, mas se o artigo ajudou você a enxergar alguns “pontos cegos” na sua maneira de trabalhar eu fico bem feliz por estar ajudando. De verdade!

      Um abraço e nos falamos em breve!

      Valeu por tudo! 🙂

  • Maria

    Adorei este artigo, a propósito gostaria de parabenizá-lo pelo site. Tudo é, realmente, incrível! Bom, vamos lá, meu trabalho não possui horário fixo, às vezes preciso trabalhar durante o dia, no dia seguinte à noite ou madrugada, depois retorno trabalhando durante o dia, folgas na grande maioria das vezes em dias de semana. Enfim, é algo totalmente sem rotina. Gostaria de saber se você teria alguma dica para enfrentar a fadiga causada por essa não constância de meus horários, por ter que me forçar à dormir em horários diferentes e às vezes não conseguir descansar o suficiente por este motivo. Desde já, muito obrigada.

  • Martha Moça

    Muito bom, de novo! rsrs Seus artigos são muito úteis! Eu sempre recomendo! Mas está faltando eu colocá-los em prática para fazer jus à minha recomendação. Sou preciosista. Tenho dificuldade de mensurar o tempo que gasto nas minhas tarefas. Mas vamos lá… não vou desistir! Abraços!

    • Obrigado, Martha! 🙂

      Essa dificuldade para mensurar o tempo que precisamos para executar certas atividades deve diminuir conforme você ganhe experiência com o uso dos timeboxes. É totalmente normal. Apenas continue se esforçando para trabalhar de acordo com o método descrito no artigo e logo você estará muito familiarizada com tudo.

  • Geziane Woitkiv

    Íncrivel a maneira pela qual vc torna simples coisas que as vezes parecem ser tão díficeis de ser mudadas. Não sabia por onde começar a minha mudança de vida…e o primeiro artigo que li foi logo sobre o Rotina matinal…onde obviamente posso começar amanhã mesmo ter um novo dia….e através dele li este outro artigo sobre a eficiência…os guias que vc oferece são muito simples e bastante úteis. Adorei a idéia do Timebos. Sucesso! Obrigada.

    • Bom dia, Geziane!

      Aproveite tudo ao máximo! Espero que já esteja colocando em prática a sua nova rotina matinal e que, com base nas dicas deste artigo, você já esteja mais produtiva. As coisas não precisam ser complicadas para que possam funcionar e mudar nossas vidas não é assim tão difícil. Com boa vontade e empenho é possível fazer coisas maravilhosas! 😉

      Um abraço e obrigado pela presença!

  • Angelo Davanço

    André, conheci o seu site há umas duas semanas e já virei fã. Tenho lido seus artigos, simples e diretos, e os mesmos estão me ajudando muito. Este, sobre foco, veio em boa hora para mim. Sempre tento fazer mil coisas ao mesmo tempo e o resultado sempre é a frustração, mas, com suas dicas, tudo vai mudar! Obrigado.

    • Fala, Angelo. Seja muito bem-vindo!

      É sempre bom receber notícias de que meus artigos são úteis e realmente transformam as pessoas. Talvez nada seja mais valioso para um escritor. Tenho certeza de que se você colocar em prática o método que ensino no artigo, o seu estilo de trabalho mudará para melhor.

      Não deixe de cadastrar seu e-mail para receber as novidades do blog. Estou prestes a lançar meu primeiro livro e ele será distribuído gratuitamente para os assinantes da minha lista de e-mails. Não fique de fora, por favor.

      Um grande abraço!

  • Felipe Medeiros

    André, esse artigo é realmente sensacional, sempre o revisito. Eu já me acostumei a utilizar esse sistema e é realmente bem relevante.

    Mas, algo vem me incomodando. Eu não sou uma pessoa organizada (ainda) e sinto que sempre que aplico isso a qualquer coisa, me geran uma inquietude e ansiedade pelas coisas que não estão sendo feitas. Mesmo, que eu tenha definido que aquilo é a coisa certa a ser feita.

    Pior, isso tem acontecido também, com o fato de deixar áreas da vida em piloto-automático enquanto foca em outras, como vc sempre ensina.

    Isso me deixa, muito ansioso e encanado. Como se precisasse evoluir o tempo todo em tudo. Eu revirei o blog e não achei mta coisa sobre isso.

    Por favor, como acha que devo lidar com isso?

    Desde já, obrigado.

    Abraço.

    • Felipe, essa ansiedade acontece porque provavelmente as suas atividades e projetos não estão organizados dentro de um sistema lógico e confiável. O que acontece é que, enquanto você cuida de determinadas atividades, o seu cérebro continua trabalhando para não esquecer as inúmeras outras coisas que precisam ser feitas e para manter alguma ordem nisso tudo. Em resumo: isso é fruto de uma má administração dos seus compromissos e projetos.

      Minha recomendação é clara: venha passar por um processo de coaching comigo e esse problema será resolvido definitivamente. Você pode marcar uma primeira sessão gratuita comigo para nos conhecermos e conversarmos com calma. É só visitar a sessão “Coaching” do blog e me escrever.

      Um abraço! 🙂

      • Felipe Medeiros

        Opa André, como sempre, muito obrigado pela resposta. Eu também acredito que isso seja um grande responsável por essa ansiedade, isso também deixa os propósitos confusos. Sendo assim, é onde tenho investido meus esforços, tentar me organizar dessa forma sadia.

        Cara, passar por um coaching é uma ideia incrível e que espero poder experimentar. Mas, como era de se imaginar a minha desorganização se estende para a vida financeira, sendo assim, não é algo que posso me comprometer no momento. Mesmo, que o retorno pareça valer muito a pena. Então, eu vou tentando caminhar com ajuda de grandes pessoas 😉

        Muito obrigado por toda ajuda.

        Abraço.

        • Vai fundo, Felipão. E conte sempre comigo para o que precisar. Em breve novos artigos. E nos próximos dias vou disponibilizar por aqui o meu primeiro eBook. Fica de olho!

          Um abraço e obrigado pela confiança! 🙂

          • Felipe Medeiros

            Valeu André, sempre conto, haah.

            To no aguardo do Ebook.

            Valeu.

  • Ulisses Hen

    Mais um excelente artigo, como todos é claro. Vamos lá trabalhar com eficiência. Só quero tirar uma dúvida, você escreveu alguma coisa sobre ficar com sono em algumas atividades e como acabar com ele? Pois desde que comecei acompanhar seu blog tenho tido 4h30m (3 ciclos) de sonos e ainda continuo pouco produtivo devido ao sono da morte (legal esse termo kkkkk). Bom é isso, até mais.

    • Ulisses, você está com sono porque está dormindo pouco. Acho que 4h30′ de sono por noite é muito pouco, especialmente se você é alguém que trabalha e precisa cuidar da família. Tente adicionar mais um ciclo de 90′ e passar a dormir 6h por noite. Isso deve melhorar as coisas.

      Eu tenho um artigo em rascunho sobre o uso do sono como uma ferramenta para o progresso, mas preciso de um tempo para editar esse conteúdo e publicar. Em breve devo fazer isso.

      Um grande abraço e obrigado pela participação. Se cuida!