Mudar de Profissão: 5 simples passos para planejar sua transição de carreira com segurança

O número de pessoas querendo mudar de profissão é impressionante.

As razões são diversas – elas estão em busca de uma remuneração melhor, mais qualidade de vida e mais satisfação com o trabalho.

E você? Está em busca dessa mudança?

Caso esteja, este artigo será o seu guia seguro e confiável para traçar um plano sólido e mudar de profissão.

E com que autoridade digo que esse artigo será um guia “seguro e confiável”?

É que nos últimos 11 anos, realizei 2 mudanças de carreira. Eu passei por esse processo e tenho lições importantes a transmitir.

Vou guiar você através de um passo a passo com todas as etapas que você precisa cumprir para planejar a sua transição de carreira com segurança.

E farei tudo isso com o máximo de clareza e simplicidade.

Você vem com a gente?

Continue lendo para saber mais sobre:

  • Os 3 pilares essenciais para o sucesso da sua mudança de carreira
  • Como mudei de profissão 2 vezes nos últimos 11 anos
  • Por que as pessoas falham? Onde elas estão errando?
  • Os 5 simples passos para planejar uma mudança de carreira com segurança
  • A dica de ouro que pode acelerar a sua entrada em uma nova área profissional

Mudar de profissão: Os 3 pilares do sucesso

Pilares de uma construção romana.

Você está realmente disposto a mudar de profissão?

Já reuniu toda coragem e determinação necessárias para empreender um projeto como esse?

Essas qualidades são indispensáveis – sem elas, as chances de sucesso são mínimas. Mas elas ainda não são suficientes.

Os 3 pilares que garantem o seu sucesso são:

  • Estratégia. Uma plano de transição bem formulado é a base fundamental para uma mudança bem sucedida.
  • Estudo. Lembre-se de que uma mudança de carreira envolve necessariamente o aprendizado e o domínio de um novo corpo de conhecimentos teóricos e competências técnicas.
  • Perseverança. Dificilmente a mudança acontecerá da noite para o dia. Você precisa estar preparado para continuar caminhando mesmo quando a frustração e o desânimo resolverem aparecer.

O objetivo desse artigo é ajudar você a obter as informações necessárias para construir os 2 primeiros pilares – estratégia e estudo.

A perseverança fica por sua conta – artigo nenhum pode te ensinar a ser perseverante. A perseverança é algo que precisa vir de dentro. 🙂

Vamos em frente. Para começar, eu quero compartilhar com você algumas experiências pessoais.

Duas mudanças em 11 anos: meus casos de sucesso

Quero compartilhar essas histórias com você por uma boa razão.

Elas mostram o processo pelo qual, de maneira mais ou menos semelhante, você também irá passar.

Além disso, há nelas algo para o qual desejo chamar a sua atenção.

Enfim, acho que contá-las pode contribuir muito com você.

Transição #1: Do Jornalismo à Tecnologia da Informação (TI)

HTML, JavaScript e CSS, a tríade tecnológica conhecida como Web Standards
HTML, JavaScript e CSS, a tríade tecnológica conhecida como Web Standards.

Em 2004, eu estava no 4° período da faculdade jornalismo quando alguns amigos me convidaram para abrir um negócio e desenvolver sites.

Eu tinha 21 anos e todos éramos empreendedores de primeira viagem.

O meu papel naquela empresa seria o de produzir conteúdos para os sites dos nossos clientes.

Alugamos uma pequena sala em um prédio antigo no centro do Recife e começamos a trabalhar.

No dia-a-dia, observando o interessante trabalho dos meus amigos programadores, quis aprender um pouco daquilo.

Como tínhamos poucos clientes e muito tempo livre, mergulhei de cabeça no estudo de um pequeno grupo de tecnologias que era novidade na época: os Web Standards.

Alguns meses depois eu havia me tornado mais um desenvolvedor na equipe. 😉

Eu não sabia, mas aquele empreendimento entre amigos e aquela iniciativa educacional autodidata mudariam completamente o rumo da minha vida.

Essa pequena aventura empresarial durou exatamente 1 ano e quando fechamos a empresa, dei continuidade aos meus estudos em casa.

Eu estava super motivado e comprometido com o meu aprendizado.

No início de 2006, na primeira entrevista que realizei, conquistei o meu primeiro emprego com carteira assinada – eu era agora um Web Designer.

Minha primeira transição de carreira estava concluída.

Transição #2: Da Tecnologia da Informação ao Coaching

Treinamento sobre produtividade e gestão pessoal ministrado na Semana de Administração 2015 em Vitória (ES)

Em 2013 eu estava há quase 5 anos empregado numa das maiores empresas de desenvolvimento de software do Recife.

Àquela altura, eu já era um profissional bem estabelecido no mercado e minha situação era estável.

Na verdade, eu estava em uma zona de conforto.

No entanto, apesar dessa estabilidade – a carteira assinada, o salário certo e os benefícios oferecidos pela empresa  –, eu estava inquieto por dentro.

Talvez você esteja numa situação semelhante.

A verdade é que muitos outros interesses haviam surgido no meu horizonte de consciência nos últimos 10 anos.

Começando com pequenos livros sobre produtividade e desenvolvimento pessoal ainda em 2006, cheguei até o conhecimento de disciplinas mais complexas – e completas.

Filosofia, metafísica, psicologia, história, ciência política, teologia, empreendedorismo, economia etc. – o mundo da tecnologia havia se tornado pequeno para mim.

Era hora de mudar novamente. 🙂

Agora o meu desejo era ser um professor e um coach capaz de ajudar pessoas usando todo o conhecimento que eu havia obtido nos últimos anos.

Iniciei então, novamente como autodidata, uma nova temporada de estudos – e em setembro de 2013 pedi minha demissão e me retirei da área de tecnologia.

De lá para cá, muita coisa já aconteceu…

Criei este blog, ministrei palestras e treinamentos Brasil afora, desenvolvi meus programas de coaching e trabalhei para o crescimento do Mude.nu e da Academia de Pilotos.

Hoje estou trabalhando exatamente com o que desejo – e essa é, para mim, a principal medida do sucesso. 🙂

Por que as pessoas falham?

Livros sobre a mesa.
“A educação tem raízes amargas, mas os seus frutos são doces.” – Aristóteles

As razões são diversas, mas grande parte delas falha por falta de dedicação aos estudos.

Se você estiver bem capacitado, o mercado terá interesse em você. Ponto.

Dominar as habilidades necessárias à sua nova profissão deve ser uma prioridade.

Tentar uma transição de carreira sem investir no seu aprimoramento intelectual e técnico certamente será ineficiente e frustrante.

Esse é o pior erro que você pode cometer em sua tentativa de mudança.

Agora que o recado foi dado, vamos em frente!

Certifique-se de ter papel e caneta em mãos ou um arquivo de texto aberto para fazer suas anotações.

Os 5 passos para mudar de profissão com segurança

Águia.

Bem, já batemos um longo papo até aqui – hora de trabalhar!

As 5 etapas seguintes vão fornecer muitas idéias úteis para o planejamento da sua mudança.

Não tenha pressa para responder as perguntas que serão feitas.

Também não tenha medo de dar respostas erradas. Não existem respostas erradas – estamos levantando idéias, não resolvendo uma equação.

Responda com naturalidade e uma boa dose de reflexão, mas não seja rígido demais. Tenho certeza que você fará um bom trabalho.

Passo #1: Sua nova profissão

Bússola.
Em que direção você irá mudar?

Responda: qual a nova carreira profissional que você deseja?

Essa resposta não deve ser vaga e imprecisa. Ela deve ser específica.

Quanto mais específica ela for, mais rápida será a sua transição de carreira.

Com ela você poderá traçar um perfil preciso dos conhecimentos exigidos e desejáveis para esse tipo de profissional.

Com essas informações, será fácil elaborar um plano de transição de carreira bem fundamentadoconfiável e seguro.

E então, para que nova profissão você está mudando? Escreva.

Passo #2: O que é necessário?

Lupa.

É hora de iniciar um levantamento de informações essenciais.

O seu objetivo aqui é identificar as competências exigidas para sua nova atividade profissional.

Responda, em sequência, por escrito, pensando em sua nova profissão, as seguintes perguntas:

  • Quais os conhecimentos obrigatórios para um profissional iniciante?
  • Quais conhecimentos são desejáveis, apesar de não serem obrigatórios?
  • O que é considerado um diferencial para um profissional iniciante?
  • É necessário dominar algum software?

Você não precisa de respostas muito detalhadas, mas procure ser específico.

Em vez de anotar “administração”, pense na parte da ciência administrativa que é realmente importante. Talvez você anote “contabilidade básica”, por exemplo.

Conversar com profissionais da área e pesquisar as exigências para vagas disponíveis trará todas as respostas que você precisa.

Olhar com atenção alguns perfis no LinkedIn também é uma estratégia excelente.

Escreva respostas simples e específicas, isso é tudo o que você precisa.

Com o levantamento realizado, é hora de planejar os estudos.

Passo #3: O programa de estudos

Programa de estudos.

Quando pensam em mudar de profissão, muitas pessoas correm para preparar um currículo e procurar vagas.

Errado.

Esse não é o momento pensar em currículos, vagas ou contatos profissionais (o famoso networking) – esse é o momento de estabelecer um programa de estudos.

Você certamente já precisou organizar seus estudos alguma vez na vida, certo? Use a mesma estratégia, adapte-a ou crie uma nova.

Um planejamento simples é suficiente, o que realmente importa é começar a estudar.

Aqui vão algumas dicas úteis para lidar com o estudo dos conhecimentos levantados na etapa anterior:

  • Conhecimentos obrigatórios. Estude todos eles, não deixe nada de fora.
  • Conhecimentos desejáveis. Escolha um deles – aquele que lhe pareça mais familiar, interessante ou fácil – e estude-o. Isso lhe dará alguma vantagem.
  • Diferenciais. Será que você já tem algum diferencial? Muitas vezes nossa experiência profissional anterior já nos fornece diferenciais interessantes para um novo mercado. Mas caso você não tenha, escolha um deles e procure desenvolvê-lo minimamente, só para destacar você do grosso da concorrência.
  • Softwares. Aprenda todos eles. A maior parte dos softwares usados por um grande número de profissionais são muito bem desenvolvidos e fáceis de aprender. É possível aprender o básico de um programa de edição de vídeos em um tempo tão curto quanto 2 horas, por exemplo.

Não existe planejamento perfeito

Não existe planejamento perfeito.
Proibido planejar com perfeição.

Muitas pessoas travam na busca por um “planejamento perfeito”. Não permita que isso aconteça com você, por favor.

Planejar consiste basicamente em definir que fontes serão usadas para cada assunto – livros, cursos online, vídeos no YouTube etc. –, comprar esse material (caso necessário) e estudar.

E por quanto tempo você deve estudar antes de começar a procurar oportunidades?

Essa é uma pergunta que só você pode responder.

No entanto, o próximo passo, se realizado com seriedade, será um indicador confiável para mostrar a você o momento certo de iniciar suas buscas.

Passo #4: Mostre que está pronto!

Ilustração de um super-herói.

Lá atrás, em 2005 ou 2006, a minha primeira ação para chamar a atenção dos meus futuros empregadores e ter o que mostrar para eles, foi criar um blog.

Ele era simples, elegante e foi desenvolvido com as tecnologias que eu havia acabado de aprender. Nele eu publiquei meus primeiros textos sobre Web Standards e assuntos relacionados.

Também coloquei nesse blog alguns projetos nos quais eu havia trabalhado (criei um portfolio). Eram todos horríveis, mas pelo menos estavam em um blog bonito.

Fiz tudo com tanto amor e boa vontade que logo o meu valor foi percebido e fui contratado.

Hoje, 10 anos depois, a estratégia é a mesma – este blog que você está lendo agora é o meio que uso para chamar a atenção das pessoas e mostrar do que sou capaz.

Os meus artigos são lidos e, a partir daí, pessoas sentem-se confiantes em realizar um processo de coaching comigo ou me convidam para ministrar uma palestra, aula ou treinamento.

Lance o seu projeto!

Lançamento de um ônibus espacial.

Iniciar um projeto que mostre ao seu futuro empregador o seu potencial é uma excelente estratégia.

Um programador iniciante talvez possa colaborar com algum projeto de código aberto (Open Source) e adicionar isso ao seu currículo.

Um conhecido começou criando modelos 3D de batalhas espaciais em casa e publicando pequenas amostras do que estava aprendendo. Depois de um tempo ele estava empregado e pesquisando oportunidades no exterior. Isso é demais!

O trabalho voluntário também pode ser uma ótima idéia.

Seja criativo. Crie um projeto pessoal que possa chamar a atenção do mercado e destacar você na multidão.

Não há necessidade de nada grandioso. O importante é que a sua boa vontade e o seu potencial possam ser percebidos nessa iniciativa pessoal.

Em tudo, trabalhe com amor. 🙂

Se você deseja alguma sugestão ou quiser a minha opinião sobre um projeto que esteja pensando em criar, é só deixar um comentário no final do artigo.

Passo #5: Hora de buscar oportunidades

Bem, você percorreu um longo caminho até aqui – é hora de buscar oportunidades.

Tenho uma série de perguntas para você.

Você sabe como criar um currículo decente? Sabe como preencher um bom perfil no LinkedIn?

Sabe como interagir com empresas e recrutadores no LinkedIn e estabelecer os primeiros contatos?

Você sabia que profissionais de Recursos Humanos (RH) vão visitar o seu Facebook e seus outros perfis em redes sociais antes de decidir se vão convidar você para uma entrevista?

Você sabe como se comportar e o que publicar nas redes sociais para não destruir suas oportunidades?

Ou melhor: você sabe o que publicar para aumentar as suas chances de sucesso?

Se você respondeu “não” para qualquer uma das perguntas acima, isso significa que mais alguns estudos são necessários.

A imensa maioria das pessoas que está tentando mudar de profissão, está fazendo isso na raça, ou seja, com pouca ou nenhuma estratégia.

Você precisa ser mais esperto do que eles:

Estude para aprender como fazer o que precisa ser feito e só então faça. André Valongueiro

A regra é: seja estratégico!

Peças e xadrez em um tabuleiro.

Não saia atirando para todos os lados, seja estratégico.

Há muitos canais e ferramentas para buscar oportunidades na Internet e você precisa dedicar um tempo para aprender como usá-los da melhor maneira possível.

O mais importante, no entanto, é que você esteja preparado para trabalhar em uma nova área.

Você não deseja desperdiçar oportunidades, certo? Então esteja pronto para encarar entrevistas, testes práticos e o que mais for necessário.

Se você estiver realmente preparado – e não mais ou menos preparado –, logo estará trabalhando em sua nova profissão. Eu garanto!

Uma dica de ouro para acelerar sua transição de carreira

Copo de café sobre a mesa.

Aqui vai: reduza o tamanho da sua vida.

Seja capaz de viver com menos, reduza custos e controle desejos de consumo.

Para a maioria as pessoas, mudar de profissão irá significar, necessariamente, uma redução de salário.

E não há nada errado nisso: no mundo profissional, um iniciante recebe menos do que um profissional experiente, certo?

Sendo assim, convém “reduzir o tamanho da vida” e preparar-se para um período vivendo de maneira mais modesta.

De maneira geral, quanto menor o salário que você estiver disposto a aceitar, mais rápido você começará a trabalhar em sua nova profissão.

Na minha última transição de carreira eu dei bastante atenção a essa simplificação da vida e acho que esse foi um fator decisivo para o meu sucesso.

Em tempo: que tal um artigo sobre como iniciar uma vida simples e minimalista?

A idéia parece boa? Deixe um comentário no final do artigo para que eu saiba a sua opinião. 🙂

Conclusão

Sol nascendo no horizonte.

Se você fez anotações durante a leitura, tem agora um bom número de informações valiosas, entre elas:

  • A nova carreira que deseja iniciar
  • Os conhecimentos que precisa obter
  • Idéias para um programa de estudos personalizado
  • Idéias para um projeto pessoal que o destaque na multidão

Você tem tudo o que precisa para planejar sua mudança de carreira. Comece hoje!

Procurei escrever um guia realista, baseado principalmente em minha experiência pessoal, e tive grande prazer em fazê-lo para você.

Por favor, não procure por atalhos ou “fórmulas mágicas”. Essas coisas vão apenas frustrar você. Faça o trabalho que precisa ser feito e você conquistará o que deseja.

Torço por você! 😀

Para terminar, deixe um comentário abaixo e compartilhe este artigo com seus amigos usando os botões acima!

Aguardo suas dúvidas e sugestões para que eu possa ajudar você.

Desejo o melhor para sua vida.

  • Rayan Ibiapina

    Muito bom André! E claro, um artigo sobre Minimalismo será muito bem vindo. 🙂 Um grande Abraço.

    • Obrigado, Rayan. Vou começar a cuidar disso. É um tema no qual tenho grande interesse e uma boa experiência também. Acho que a decisão de tornar-me um minimalista foi uma das melhores decisões que tomei na vida.

      Um abraço! 🙂

      • Rayan Ibiapina

        Muito bom André. Sendo assim, parece que você detém de certa ‘autoridade’ no assunto. Será de muito proveito para mim e para todos que acompanham o seu blog ler o que você tem a dizer sobre o assunto. Grato! 😉

        • Rayan, há pouco mais de 2 anos mergulhei fundo nessa coisa de viver uma vida minimalista e aprendi muita coisa sobre o assunto. Uma pergunta: você gostaria de um artigo focado na “filosofia do minimalismo” ou de um guia prático para começar a viver de maneira mais simples?

          • Rayan Ibiapina

            Primeiramente, gostaria de frisar que estou positivamente satisfeito com o feedback recebido aqui no seu blog. Muito obrigado pela atenção André. Espero em alguma oportunidade poder colaborar também com seu crescimento.

            Acredito que a ‘parte filosófica’ é bem importante. Afinal, é preciso ter uma base dos ‘conceitos’ antes de partir para a prática em qualquer assunto. 🙂

            Não sei exatamente o ‘tamanho’ do assunto, o que soa estranho quando se fala de Minimalismo, mas acredito que dependendo da quantidade de conteúdo, você poderia criar uma Minissérie de três artigos. Claro, é só uma dica. De todo modo, da forma que vier, garanto que estarei marcando presença consumindo o excelente conteúdo por você divulgado aqui.

            Grande abraço.

          • Obrigado, Rayan. Bacana a sua participação e sugestão. Prometo levá-la em conta na hora e produzir o artigo.

            E vá desculpando a demora na minha resposta, é que estive alguns dias longe da Internet, o que foi excelente! 🙂

            Um forte abraço!

  • Celso Fonseca

    André, tu cresceu!!!!! Estava hoje navegando e lembrei de você, pois sempre lia teus artigos no blog anterior, quando fiz uma busca caí aqui. Que blog maravilhoso e que artigos fantásticos!!!!! A partir de agora volto a acompanhar tudo. Grande abraço!

    • Obrigado, Celso! Bom tê-lo de volta me acompanhando. Eu lembro dos seus vários comentários em meus artigos no blog antigo, isso já faz um bom tempo.

      Seja bem-vindo novamente e aproveite tudo ao máximo! 😉

      Um abração!

  • Alessandra Franco

    Parabéns pelo artigo! Tenho adorado todos que tenho lido! Seus textos são simples de ler e entender, trazem assuntos do dia a dia das pessoas (por isso os textos são muito atraentes), transparecem sua dedicação e interesse em ajudar as pessoas e mais importante de tudo, se a pessoa for dedicada e colocar em prática suas dicas, certeza que terão algum contato com o sucesso! Muito bom ter a oportunidade de ter encontrado seu blog. Me inspirou bastante, e gostaria muito de assim que possível conhecê-lo pessoalmente para uma sessão de Coaching. Deus abençoe sempre!

    • Obrigado, Alessandra. Bom saber que os artigos estão inspirando e ajudando você, fico muito feliz por isso! 🙂

      Terei o maior prazer em ajudar você como coach. Vamos agendar uma sessão experimental para que possamos conversar? É só me enviar uma mensagem usando o formulário que está na sessão “Contato” aqui do blog, OK?

      Um abraço e obrigado pela participação. Espero que continue por aqui acompanhando tudo!

  • Joana Mota

    Boa tarde,
    Há cerca de 3 anos, fiquei doente e perdi repentinamente a
    visão central dos olhos. Hoje recuperei do olho esquerdo, que se
    encontra estável. Consigo fazer a minha vida. Tirei um curso em Design
    Gráfico e outro em Design Multimédia e Audiovisuais (ambos na
    faculdade). Quando fiquei doente apesar de não ver quase nada, tirei um
    curso de Auxiliar de educação infantil os médicos não me deixaram
    trabalhar. Hoje com 67% de incapacidade visual dizem que não poderei
    mais trabalhar mais como designer, gráfico nem outro que tenha de estar
    ao computador o dia inteiro.

    Hoje com a doença estabilizada e a
    depressão finalmente tratada, volto a pensar em trabalhar! Mas tanto
    anos em casa, saindo apenas para médicos e pouco mais, e porque adoro de
    paixão, tinha pensado em trabalhar em casa, fazendo o que mais gosto;
    pintar, desenhar, trabalho manuais, ArtesDecorativas.. Mas não sei bem
    como iniciar o projeto.
    Se me puder dar sugestões, e a sua opinião agradecia!
    Atentamente, Joana Mota

    • Olá, Joana!

      Que maravilha que você tenha vencido todas as dificuldades de um problema de saúde tão difícil como esse e esteja agora buscado retornar ao trabalho. Isso, por si só, já é uma vitória gigante! 🙂

      O que eu recomendo que você faça logo de início é uma bela pesquisa para descobrir pessoas e empresas que estejam trabalhando com o que você deseja trabalhar. Quem são elas? Que tipos de serviços estão oferecendo ou quais produtos estão produzindo e comercializando? Como estão divulgando seus trabalhos?

      O objetivo é fazer uma leitura do mercado para entender a “dinâmica” dessas atividades. Se você dedicar tempo e energia para entender esse “ecossistema” da melhor maneira possível, certamente muitas idéias sobre como e por onde iniciar o seu projeto vão aparecer para você e será mais fácil tomar uma decisão sobre qual o primeiro passo a ser dado.

      Estou na torcida e disponível para trocar outras mensagens e ajudar você. É só passar por aqui e deixar um comentário que vamos conversando, OK?

      Um abraço e que Deus a abençoe!

  • Elisa Duarte

    Bom, sou formada em “Analista de Sistema” desde 2009. As aspas estão ai pq nunca consegui seguir na profissão. Na área de informatica é muito bom, mas qdo vc está dentro. Eu não tenho experiencia, as empresas só querem contratar com experiencia e como eu precisava de $$, aceitei ser “Auxiliar Administrativo” q só pedem o ensino médio. Tentei concursos na minha área e putz, o q eles pedem tb precisa ter experiencia!

    Então, fui me desmotivando com a informatica… Não quero mais seguir isso, mas o problema é: Pra onde eu vou? Como vou descobrir o q eu gosto realmente?

    Vc fez Teste Vocacional, André? Vc aconselha o Teste?

    • Elisa, acho que se você realmente queria ingressar na área de tecnologia e as empresas estavam te pedindo experiência prévia, você deveria ter obtido alguma experiência por conta própria. Quando eu quis ingressar no mercado de tecnologia, fiz um blog que falava exatamente sobre as tecnologias com as quais eu queria trabalhar e fiz até alguns trabalho de graça para pessoas próximas. Isso terminou contando como uma experiência para o meu primeiro empregador. Eu era formado em Jornalismo, mas você tem a vantagem de ser formada em Análise de Sistemas.

      Você poderia ter se envolvido com alguma projeto Open Source, por exemplo. As possibilidades são inúmeras e talvez você tenha desistido sem antes tentar tudo o que podia. No artigo eu falei sobre a importância de lançar um projeto pessoal que mostre ao seus possíveis empregadores que você está pronta para trabalhar. Isso teria contado pontos a seu favor.

      Mas se você não deseja mais seguir carreira na área de tecnologia, tudo bem. O mundo está cheio de oportunidades. 😉

      Eu não fiz nenhum teste vocacional, mas aconselho sim. Se você está “perdida”, o teste pode indicar um caminho que talvez você ainda não tenha percebido. Pode ser um ótimo negócio. Há também programas de coaching focados em ajudar na descoberta de um propósito de vida. Esses programas, apesar de mais caros, são bem mais cuidadosos e profundos na investigação das suas motivações. Enfim, acho que tudo é válido para quem está perdido e deseja se encontrar.

      Torço por você e estou aqui para ajudar no que for preciso. Tenho um programa de coaching focado em ajudar os “perdidos”. Você pode conhecer um pouco do meu trabalho acessando o item “Coaching” no menu “Trabalhe Comigo”. Lá você terá todas as informações que precisa.

      Um abraço e boa sorte! 🙂

      • Elisa Duarte

        É André. Se eu realmente quisesse tinha corrido atrás. O curso veio pq ganhei bolsa PROUNI e como eu estava só levando bomba nos vestibulares (eu queria Química ou Eng Química) peguei o curso naquela esperança de “gostar”… Hoje, nem Analise de Sistemas e nem Química me anima… Longa historia.

        Eu entrei na AdP pq realmente estava perdida. Durante curso, a inquietação está na minha cola.

        Eu vi os programas de Coaching sobre a “descoberta de proposito de vida” como o Moporã (São Paulo) e o Paulo Vieira (daqui do Ceará), mas pagar R$ 5.000 é bem pesado pra quem ganha um pouco menos de R$ 2.000 e está endividada até os fios de cabelos.

        Mas olhei com carinho o seu trabalho, obg.

        • Elisa, se você foi aluna da Academia de Pilotos você continua tendo acesso ao treinamento. Por que não retomar os estudos por lá? Estudar o Painel de Controle de Ação certamente já te ajudaria muito.

          De toda forma me coloco à disposição para ajudar você. Os meus programas de coaching são mais acessíveis do que os programas de você mencionou.

          Te desejo toda sorte e sucesso. Ânimo, tudo sempre termina bem! 🙂

  • Helitom Silva

    Muito bom Andre, ate esse momento não tinha visto um artigo tão claro e objetivo, obrigado por compartilhar seus conhecimentos e experiências!

    • Fico feliz que tenha gostado, Helitom. Esse é um artigo muito realista e honesto, sem fórmulas mágicas. Estou certo de que qualquer pessoa que siga essas orientações com empenho aumentará muito as suas chances de ingressar em um novo mercado de trabalho.

      Um forte abraço e obrigado pela participação!

  • Helitom Silva

    Andre, disponibilize a opção de compartilhar via Linkedin, pois esse artigo vai ser bem semeado lá, e com a opção disponível fica mais fácil o pessoal publicar!