Projetos: Os 4 Passos Para Conceber, Planejar e Executar – O Guia Definitivo

Você tem fracassado em concluir seus projetos? Para você, começar e terminar projetos é um grande desafio?

Quero ajudar você! Vou descomplicar e desmistificar essa arte.

Bem-vindo ao meu guia sobre como conceber, planejar e executar projetos. Qualquer projeto!

Esse é o método que usei e continuo usando para realizar coisas tão diferentes quanto viajar pelo mundo, tocar o meu negócio, escrever artigos e livros, organizar meus estudos e muito mais.

Me apoio completamente neste método para realizar todos os meus projetos e o ensino aos meus clientes e alunos em meus programas de coaching e treinamentos.

Esse não é um guia para ser “lido”, mas para ser estudado de maneira séria e criteriosa.

Se você fizer um estudo sério deste artigo, seus problemas em relação ao planejamento e execução dos seus projetos podem chegar ao fim.

Escrevi um guia capaz de transformar você em um grande realizador de projetos.

Procurei ser o mais claro possível e dar o maior número de detalhes e explicações, mas se alguma dúvida ficar no ar lembre-se de deixar um comentário no final do artigo e aparecerei para ajudar você.

Aqui estão as etapas do nosso estudo sobre a arte de concluir projetos:

O Que é um Projeto?

Projeto é uma palavra de origem latina – projectum – cujo significado original é “algo lançado à frente”.

Aqui está uma definição objetiva e que servirá de base para o nosso estudo:

Um projeto é um conjunto ordenado de atividades que visa alcançar um objetivo específico e pré-determinado.

Quero chamar sua atenção para dois pontos importantes na definição acima:

  1. Um projeto é “um conjunto ordenado de atividades” e, por isso, é sempre composto por duas ou mais tarefas, jamais por apenas uma.
  2. Um projeto tem “um objetivo específico e pré-determinado” e, por isso, precisamos saber que resultado desejamos antes de começarmos a trabalhar.

Se alguém deseja realizar algo que não pode ser feito mediante uma única atividade – ou “de uma só vez” – ela está diante de um projeto.

Nesse sentido, coisas que geralmente não são consideradas um projeto, passam a sê-lo:

  • Um check-up de saúde envolve atividades de agendamento, realização e recebimento de exames e consultas com o médico.
  • Uma compra na internet envolve atividades de pesquisa, compra e acompanhamento da entrega do produto.
  • produção de um artigo como esse que você está lendo agora envolve atividades de pesquisa, escrita, edição e divulgação.

O primeiro passo a ser dado para dominar a arte de planejar e concluir projetos é saber reconhecê-los.

Quando um projeto não é considerado como tal, já começamos a fracassar: estamos deixando de enxergar o seu verdadeiro tamanho e a sua verdadeira complexidade.

E quando, mais adiante, nos deparamos com a necessidade de realizar ações e esforços que não havíamos previsto, desanimamos e, em muitos casos, desistimos.

Você certamente já teve esse experiência, certo?

falta de clareza e seriedade ao olhar para os nossos projetos é um dos erros fundamentais que cometemos.

Vamos nos aprofundar um pouco neste ponto, é muito importante entendê-lo.

O Erro Fundamental Que Impede Você de Concluir Projetos

Diante do desejo de realizar um projeto há um erro que costuma colocar tudo a perder: a pressa.

A pressa nos conduz à irreflexão – e a irreflexão é fonte de muitos males e fracassos em todas as áreas da nossa vida.

Por mais paradoxal que pareça, a verdade é que a pressa muitas vezes nos atrasa.

Repete agora, lentamente, baixinho ou mentalmente, consciente de cada palavra:

A pressa muitas vezes é atraso.

Um projeto, por mais simples que seja, exige algo de nós. Ele tem um custo: de tempo, financeiro, emocional, físico.

É preciso conhecer suas exigências e saber de antemão se posso arcar com o que ele exige de mim.

Você quer ser um nômade digital e viajar o mundo enquanto constrói o seu negócio?

Ótimo! Tenho feito isso por quase 3 anos – estou agora em Chiang Mai, na Tailândia – e encorajo você a se juntar a mim nessa aventura épica!

primeiro passo é conhecer o que esse maravilhoso projeto exige de você e depois responder a seguinte pergunta com toda honestidade:

Estou disposto a ‘pagar o preço’ que me é cobrado?

Se você estiver realmente disposto, vá em frente: suas chances de sucesso são grandes!

Se você não está disposto a pagar o preço, sem problemas: siga o conselho de Aristóteles (384 a.C. — 322 a.C.) para descobrir sua vocação:

Quando os seus talentos encontram as necessidades do mundo, ali está a sua vocação. — Aristóteles
“Quando os seus talentos encontram as necessidades do mundo, ali está a sua vocação.” — Aristóteles

Se você ainda não fez essa descoberta fundamental, convido você a conhecer o meu programa de coaching Vida: Propósito, Sentido e Direção.

Posso ajudar você pessoalmente a descobrir seu caminho de vida único e especial.

Concluir Projetos, um Problema Milenar

Em O Manual Para a Vida, Epicteto (55 d.C — 135 d.C) escreveu palavras que expressam com clareza o problema da falta de seriedade e reflexão diante dos nossos projetos e empreendimentos:

Em toda ação você deve levar em consideração aquilo que a antecede e o que se segue. Essa é a maneira pela qual você se aproxima das coisas com cautela, para só então empreender sua ação. De outra forma, você irá agir com um grande entusiasmo inicial, já que você não refletiu sobre nenhuma das consequências, e depois, quando as dificuldades apareceram, você irá desistir, para sua vergonha. […] Se você agir sem pensar, você estará se comportando como uma criança, aquela que um dia brinca de ser lutador, noutro dia de gladiador, agora toca a trombeta e logo em seguida se lança no meio da arena. […] Quando você dá início a alguma coisa, você o faz casualmente e sem muita convicção, ao invés de considerá-la com seriedade, olhando para ela por todos os lados.

Epicteto escreveu essas palavras há quase 2.000 anos e é impressionante como elas são, ainda hoje, tão atuais e necessárias.

Essa é a sabedoria que os milênios não apagaram e não irão apagar.

O que esse grande filósofo está dizendo é que a pressa de iniciar um projeto é o início do seu fracasso.

Medite seriamente nas palavras de Epicteto e então responda, mentalmente ou por escrito, com absoluta sinceridade e seriedade, as seguintes questões:

  1. Tenho considerado seriamente cada um dos meus projetos antes de iniciá-los?
  2. Em que medida a pressa e a irreflexão têm sido um obstáculo ao sucesso dos meus projetos?

A minha sugestão é que você responda essas questões por escrito. Vai lhe fazer muito bem.

Está gostando do artigo?

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos e com prioridade.

Pequenos Projetos versus Grandes Projetos

Não gosto de grandes projetos. Não gosto de projetos de longa duração e alta complexidade.

Para mim, eles tendem naturalmente ao fracasso: nos cansamos, perdemos o foco, nos desviamos e terminamos abandonando o que queríamos fazer.

Você certamente sabe do que eu estou falando, certo?

No meu livro 55 Meditações e Broncas escrevi:

Para os que desejam a grandeza naquilo que fazem é importante que fique claro: toda grandeza consiste somente em fazer o pequeno dever de cada momento. Faz o que deves e está no que fazes e tudo vai se construindo a seu tempo.

Os grandes projetos existem, claro. Alguns projetos são naturalmente longos e complexos.

Não se trata de evitá-los, mas de abordá-los de maneira diferente: em vez de um único grande projeto, podemos realizar uma série de projetos menores.

Projetos pequenos, que podem ser concluídos em dias ou semanas, em vez de meses ou anos, imprimem uma dinâmica diferente aos nossos dias.

Eles nos oferecem a possibilidade de pequenas vitórias frequentes que alimentam nossa motivação e impulsionam nosso ânimo.

Mais ainda: eles são mais fáceis de gerenciar.

E tudo isso faz uma grande diferença!

A armadilha dos “Grandes Projetos”

Se desejo concluir um grande projeto, preciso colocar o meu foco nas tarefas mais simples e ordinárias e esquecer essa “grandeza”.

É que essa grandeza pode tornar-se mania – mania de grandeza – e colocar tudo a perder.

A mania de grandeza nos desvia da objetividade simples que conduz todos os projetos ao sucesso: começamos a nos perder na ilusão do orgulho, da vaidade, do perfeccionismo e do aplauso.

Tudo o que é feito com desejo de parecer extraordinário e grande torna-se difícil, pesado e custoso.

É sempre melhor manter as coisas simples e fáceis.

A Posição e o Encaixe de um Projeto na Totalidade da Vida

Um projeto deve ter uma “razão de ser”, deve me levar aonde eu quero ir – ou pelo menos me deixar um pouco mais próximo.

É preciso ter um Plano de Vida, um Propósito, um quadro maior no qual todos os meus projetos encontrem sua justificativa e seu encaixe.

Se um projeto “existe por existir”, se não encontra seu lugar e função dentro dos meus sonhos e aspirações mais elevados, por que eu deveria fazê-lo?

Nesse caso seria melhor passar tempo ao ar livre, conviver com a família e os amigos, caminhar ou fazer algo que me traga satisfação e prazer.

Quando um projeto não tem sentido ele se torna mera obrigação. Minha motivação para fazê-lo será pequena e minhas chances de sucesso serão menores.

Se você não tem um Plano de Vida que dê aos seus projetos uma verdadeira importância, eu recomendo fortemente que você o desenvolva.

Essa não é uma tarefa fácil, eu sei, mas é tremendamente importante e necessária.

Se você precisar de ajudar para construir o seu Plano de Vida, conte comigo: aqui está o programa de coaching que você precisa.

Com um Propósito bem definido todos os projetos ganham sentido, substância e força.

Ouve as palavras de Sêneca (4 a.C — 65 d.C):

Quando se navega sem destino, nenhum vento é favorável. — Sêneca
“Quando se navega sem destino, nenhum vento é favorável.” — Sêneca

O Segredo Para o Sucesso de um Projeto

Assim como os grandes projetos são um “perigo”, as grandes tarefas também podem atrapalhar o nosso progresso.

Elas nos assustam, nos fazem experimentar o receio da impotência e o medo do fracasso.

Diante de uma tarefa complexa e exigente frequentemente recorremos à procrastinação, a assassina silenciosa de sonhos.

A solução é reconhecer, por meio de uma inteligência penetrante, as partes menores que constituem uma grande tarefa.

Escrever um artigo como este, por exemplo, pode ser uma tarefa intimidadora, mas escrever apenas sua introdução é certamente uma tarefa simples.

Um artigo como esse é composto por diversas partes:

  • Introdução;
  • Primeira parte;
  • Segunda parte;
  • Terceira parte;
  • Conclusão.

Do mesmo modo, qualquer atividade complexa é composta por um certo número de pequenas tarefas: cabe a nós realizar a operação mental que descobre cada uma delas.

E se, em vez de tarefas que nos intimidam, temos apenas pequenas atividades que estamos confiantes de poder realizar, estamos então seguros da conclusão de um projeto.

Darei um bom exemplo real adiante com o meu estudo de caso sobre a minha viagem para o Vietnã e tudo isso ficará muito claro.

Os 4 Passos Para Pensar, Planejar e Executar um Projeto

Vamos começar agora a conversar sobre as etapas de planejamento e execução de um projeto.

Hora de começar a parte prática do nosso estudo!

Aqui as explicações ainda serão um pouco vagas e os exemplos serão pontuais e ilustrativos.

Mais adiante, no entanto, teremos um estudo de caso real onde comentarei cada uma das etapas de um projeto pessoal de sucesso que realizei em dois países: Tailândia e Vietnã.

Descreverei os raciocínio que fiz, colocarei fotos e darei explicações detalhadas.

No entanto, para absorver o máximo do estudo de caso você precisa entender muito bem cada um dos passos sobre os quais conversaremos agora.

1. A “razão de ser” do Projeto

Já dissemos que um projeto precisa encontrar sua posição e encaixe na Totalidade da Vida, que ele precisa ter uma “razão de ser”.

O primeiro passo então é responder a seguinte pergunta:

Por que desejo realizar este projeto?

Não se trata aqui de pensar exaustivamente, mas apenas de esclarecer nossas motivações.

Você não precisa escrevê-las, embora possa fazer isso se quiser. Certifique-se apenas de que esse projeto não é mais um projeto “fogo de palha”.

Pense nessa resposta como um contrato que você está assinando, um acordo sério que você está fazendo com você mesmo e que pretende cumprir.

Coloca em prática essas palavras de São Josemaria Escrivá (1902 — 1975) que mudaram minha vida anos atrás:

Concretiza. – Que os teus propósitos não sejam fogos de artifício, que brilham um instante para deixar, como realidade amarga, uma vareta de foguete, negra e inútil, que se joga fora com desprezo.São Josemaria Escrivá

2. Definindo as ações do Projeto

Um projeto, já dissemos, é “um conjunto ordenado de atividades”. Nessa etapa o nosso trabalho é descobrir e listar essas atividades.

Para isso, é preciso olhar com calma para o projeto que queremos concluir:

  • Que ações ele exige de nós?
  • Quais as dependências entre elas?
  • Em qual ordem elas devem ser executadas?

Se dedicarmos 15 minutos à tarefa de listar ordenadamente as pequenas atividades de um projeto teremos aumentado muito nossas chances de sucesso.

Saberemos o tamanho do trabalho que nos espera, o esforço que precisaremos fazer e a energia que precisaremos despender.

O alvoroço de colocar a “mão na massa” e começar algo imediatamente, por outro lado, costuma nos enganar e iludir.

Começamos com todo entusiasmo e, no meio do caminho, percebemos que gastamos energia demais e já não temos força para cruzar a linha de chegada. Desistimos.

É como correr uma maratona (42Km) com a intensidade de uma prova rápida de 5Km ou 10Km: “quebraremos” antes do fim.

Um projeto costuma ter tarefas de diferentes tipos:

  • Pesquisa;
  • Estudo;
  • Telefonemas e Mensagens;
  • Escrita e Criação;
  • Idas à rua;
  • Compras;
  • Pagamentos;
  • Transações Bancárias;
  • Testes e Avaliações.

Quais tarefas você precisa realizar para concluir um projeto? E em que ordem elas devem ser executadas?

Faça uma lista de todas elas antes mesmo de dar o primeiro passo. Assim você não se enganará em relação às exigências do projeto que tem nas mãos.

Você terá uma noção clara do desafio que tem pela frente e poderá preparar-se adequadamente para realizá-lo.

Não fazer essa simples atividade de organização é aumentar suas chances de fracasso. Não subestime a utilidade desta pequena etapa.

E lembre-se do segredo do sucesso sobre o qual conversamos acima: os pequenos passos, as pequenas tarefas.

Está gostando do artigo?

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos e com prioridade.

3. Executando o Projeto

Executar um projeto é cumprir, em sequência, cada uma das tarefas definidas no passo anterior.

Trata-se de, paciente e serenamente, cumprir cada uma das exigências que ele nos faz e que identificamos antes de iniciá-lo.

O método que uso e ensino para trabalhar e concluir tarefas já foi detalhadamente ensinado no artigo 5 Simples Passos Para Trabalhar Com Máximo Foco e Eficiência.

Tudo o que você precisa fazer é estudar o método que ensino e colocá-lo em prática.

4. Gerenciando o Projeto

Gerenciar um projeto é manter o contato com ele. É não perdê-lo de vista, não afastar-se dele.

É também medir seu progresso, sem fazer disso, no entanto, motivo de ansiedade.

Se temos um certo número de tarefas dentro de um projeto, basta que possamos contar quantas delas já foram realizadas e quantas ainda restam.

Isso basta para saber se estamos caminhando ou não, se estamos produzindo ou procrastinando.

Depois dessa contagem podemos realizar um breve exame crítico da nossa performance:

  1. Quantas tarefas foram concluídas hoje?
  2. Quantas tarefas foram concluídas na última semana?
  3. Quantas tarefas desejo concluir amanhã?

Perguntas simples e que devem ser respondidas também com simplicidade.

Se não estamos fazendo o progresso que gostaríamos, precisamos apenas pensar em como podemos melhorar. Sem ansiedade nem angústia.

Estar ansioso é andar em círculos. É preciso aprender a apressar-se devagar.

Vale o conselho do escritor português José Saramago (1922 — 2010):

Não tenhamos pressa, mas não percamos tempo. — José Saramago
“Não tenhamos pressa, mas não percamos tempo.” — José Saramago

Estudo de Caso: Viajando Para o Vietnã

Que tal ver toda essa teoria funcionando na prática? É isso o que faremos agora!

Vou mostrar como usei os 4 passos apresentados acima para realizar um projeto que requer um alto grau de organização: viajar para a República Socialista do Vietnã.

O nome que dei a esse projeto foi Saigon 2018, já que entrarei no Vietnã através da cidade de Ho Chi Minh, que chamava-se Saigon até 1975.

Trata-se da maior cidade e do principal centro financeiro, corporativo e mercantil do Vietnã. A cidade é uma loucura e essa será minha segunda vez viajando por lá!

Considero que esse projeto seja de curta duração e complexidade média.

Num projeto como esse temos tarefas de diversos tipos:

  • Pesquisas;
  • Decisões de Itinerário;
  • Preparação de Documentos;
  • Obtenção de Visto para o Vietnã;
  • Compra de Passagens Aéreas;
  • Agendamento de Hospedagem.

Trata-se de um projeto delicado, pois a entrada em um país socialista é sempre mais complicada do que a entrada num país democrático. Por isso, organização é fundamental.

Há bastante burocracia envolvida e o cuidado com a documentação precisa ser dobrado. Afinal, não quero ser barrado no aeroporto, certo?

Vamos começar!

1. A “razão de ser” do projeto “Saigon 2018”

O primeiro passo é responder a pergunta básica:

Por que desejo realizar este projeto?

Tenho 2 respostas para essa questão, uma mais objetiva e outra ligada diretamente ao meu Plano de Vida.

A resposta objetiva é que o meu visto de permanência na Tailândia está chegando ao fim e devo obrigatoriamente deixar o país. Já estou aqui há mais de 90 dias.

A “razão de ser” mais profunda é que no meu Plano de Vida, escrito já há alguns anos, deixo claro o estilo de vida nômade e aventureiro que desejo viver:

Trabalho como Coach com o uso da Internet a partir de qualquer lugar do mundo. Possuo um estilo de vida simples, minimalista, o que me permite trocar de residência regularmente e viver em diversos países e continentes.

Não há nenhuma dúvida de que esse projeto é relevante e está alinhando às minhas aspirações mais profundas.

2. Definindo as ações do projeto “Saigon 2018”

Hora de pensar sobre as exigências do projeto em termos de tarefas concretas, dependências entre as tarefas e ordem de execução.

Vou tentar explicar tudo por partes e da maneira mais didática e clara possível.

2.1 Definindo o itinerário

A primeira pergunta que precisei responder era fundamental para a definição das ações do projeto:

Qual será o meu itinerário de viagem?

Depois de refletir um pouco e fazer breves pesquisas cheguei a conclusão de que o melhor itinerário seria pegar um vôo de Chiang Mai (CM) para Bangkok (BKK), na Tailândia, e depois outro vôo de Bangkok (BKK) para Ho Chi Minh (HCM), no Vietnã.

De Chiang Mai para Bangkok eu compraria uma passagem só de ida e de Bangkok para Ho Chi Minh eu compraria uma passagem ida e volta, já que o meu vôo de volta para o Brasil sairá de Bangkok.

Essa decisão adicionou imediatamente duas tarefas em meu projeto:

  • Comprar passagem só de ida CM → BKK
  • Comprar passagem ida e volta BKK → HCM

Comecei então a adicionar as tarefas do projeto ao meu Wunderlist, a ferramenta que uso para administrar tudo o que faço:

Aplicativo Wunderlist com as tarefas do projeto Saigon 2018.
Clique na imagem para ampliar.

Tomei a decisão de fazer essa viagem no dia 2 de Fevereiro, o dia em que entrego o meu apartamento aqui em Chiang Mai, e logo percebi que, se quisesse ficar na Tailândia até essa data eu precisaria renovar o meu visto de turista, cujo vencimento era 25 de Janeiro.

2.2. Renovando o visto na Tailândia

A necessidade de renovação do visto Tailandês gerou uma série de novas tarefas dentro do projeto.

A primeira delas foi uma tarefa de pesquisa:

  • Pesquisar processo de renovação do visto Tailandês
Aplicativo Wunderlist com as tarefas do projeto Saigon 2018.
Clique na imagem para ampliar.

Essa pesquisa me levou até excelente guia How To Extend Your Tourist Visa For Thailand in Chiang Mai, do Hungry Backpack. Tudo o que precisava estava lá. Excelente!

A conclusão da tarefa de pesquisa – ou seja, a leitura atenta do guia do Hungry Backpack – me mostrou quais as tarefas que eu precisaria concluir para renovar o meu visto:

  • Separar documentos para renovação do visto na Imigração
  • Fazer fotocópias do Passaporte, Visa Stamp e Departure Card
  • Imprimir e preencher formulário TM.7
  • Tirar foto formato 4cm x 6cm
  • Separar 1.900 Baht (aproximadamente R$190,00) para pagamento da renovação
Aplicativo Wunderlist com as tarefas do projeto Saigon 2018.
Observe que a tarefa “Pesquisar processo de renovação do visto Tailandês” foi concluída e que tarefas relacionadas a renovação do visto Tailandês foram adicionadas. Clique na imagem para ampliar.

Tive uma surpresa um pouco desagradável no momento da renovação do visto, mas falarei sobre ela mais adiante.

Com as tarefas de renovação do visto definidas era hora de definir as atividades para a obtenção do visto para o Vietnã.

2.3. Obtendo o visto para o Vietnã

Como quase sempre em meus projetos, especialmente os projetos de viagem, começo com uma atividade de pesquisa:

  • Pesquisar processo de obtenção do visto para o Vietnã
Aplicativo Wunderlist com as tarefas do projeto Saigon 2018.
Clique na imagem para ampliar.

Como essa será a minha segunda vez no Vietnã, não precisei pesquisar muito sobre o assunto.

Procurei nos meus e-mails e achei a empresa que contratei para cuidar do processo de obtenção do meu visto em 2016, a Vietnam Visa. Eles me prestaram um ótimo serviço e merecem minha fidelidade como cliente.

Depois de reler o e-mail e achar o site da empresa – ou seja, concluir a tarefa de pesquisa –, eu tinha todas as informações que precisava e fui capaz de definir as tarefas necessárias para essa etapa do projeto:

  • Solicitar o visto para o Vietnã no site Vietnam Visa
  • Imprimir e preencher Visa Application Form NA1
  • Imprimir Vietnam Visa Approval Letter
  • Separar 2 fotos formato 4cm x 6cm
  • Separar 25 Dólares para pagamento do visto
Aplicativo Wunderlist com as tarefas do projeto Saigon 2018.
Observe que a tarefa “Pesquisar processo de obtenção do visto para o Vietnã” foi concluída e que tarefas relacionadas a obtenção do visto para o Vietnã foram adicionadas. Clique na imagem para ampliar.

Com essas tarefas as principais etapas do projeto estavam organizadas, mas ainda haviam algumas tarefas importantes a serem definidas.

2.4 Hospedagem e outros detalhes

Ficarei no Vietnã por 3 semanas, mas dessa vez não quis alugar um apartamento e permanecer na mesma localidade por muito tempo.

Tomei a decisão de fechar uma hospedagem no centro da cidade (Distrito 1) apenas para os primeiros 7 dias:

  • Agendar hotel no Distrito 1 para a semana de 04 a 10/02

Como fiquei em dúvida sobre duas hospedagens e havia a possibilidade de cancelar ambas sem nenhum custo até o dia 25/01, terminei fechando as duas e criando uma tarefa para cancelar uma delas depois:

  • Cancelar hospedagem extra

Com essas tarefas definidas, fechei o planejamento inicial do projeto e pude finalmente passar para a execução.

O planejamento inicial do projeto Saigon 2018 no Wunderlist ficou assim:

Aplicativo Wunderlist com as tarefas do projeto Saigon 2018.
Projeto “Saigon 2018” com 14 tarefas pronto para ser executado. Clique na imagem para ampliar.

3. Executando o projeto “Saigon 2018”

Com as tarefas muito bem definidas, foi fácil começar a executar o projeto.

Eu não estava mais “tateando no escuro” e tentando descobrir o que fazer.

Eu tinha todas as tarefas em ordem e simplesmente comecei a fazê-las uma após a outra, seguindo a ordem que havia definido.

Não canso de dizer aos meus clientes e alunos o quanto as nossas chances de sucesso aumentam quando pensamos e organizamos um projeto de maneira criteriosa antes de colocar a mão na massa.

Sobre o método de execução propriamente dito, eu já o ensinei detalhadamente no artigo 5 Simples Passos Para Trabalhar Com Máximo Foco e Eficiência.

Não deixe de estudar o guia acima assim que terminar de estudar este. Eles são complementares.

4. Gerenciando o projeto “Saigon 2018”

Apesar da definição criteriosa das tarefas do projeto, outras tarefas surgiram ao longo da execução.

Incluir “em tempo real” tarefas que não estavam previstas no início de um projeto faz parte das atividades de gerenciamento.

Não apenas incluir tarefas não previstas, mas também esclarecer tarefas obscuras, adicionar informações extras às tarefas já definidas, cuidar, enfim, para manter o projeto claro, atualizado e completo.

Duas tarefas adicionais surgiram ao longo da execução do projeto:

  • Pesquisar academia no Distrito 1 em Ho Chi Minh
  • Pesquisar apartamentos na região de Thao Dien no Distrito 2
Aplicativo Wunderlist com as tarefas do projeto Saigon 2018.
Clique na imagem para ampliar.

Gerenciar um projeto, como dissemos, é não perdê-lo de vista. É cuidar para que ele seja executado com qualidade e serenidade.

Os projetos que são executados sem grande esforço são os mais perfeitos.

Mesmo grandes e complexos projetos podem ser realizados de forma suave se os tratamos com a seriedade que merecem.

O Projeto “Saigon 2018” Deu Certo?

Você está curioso para saber se esse planejamento todo deu certo? Sim, deu certo.

Estou escrevendo essas linhas aqui em Saigon, no Vietnã. O projeto foi um sucesso!

Foto de André Valongueiro com com estudantes vietnamitas em Saigon.
Conversando com estudantes vietnamitas interessados em praticar inglês. Saigon, Vietnã, Fevereiro de 2018.

Conclusão: Você Pode Ser Um Grande Realizador de Projetos!

Se você chegou até aqui, parabéns!

Fizemos uma longa e produtiva jornada, uma jornada que só pode ser cumprida por pessoas sérias e realmente comprometidas com o seu desenvolvimento pessoal.

Procurei ser o mais claro possível e trazer teoria e prática juntos. Espero ter cumprido minha missão!

No entanto, se algo não ficou claro e você quiser tirar dúvidas, fazer elogios ou críticas, deixe um comentário abaixo. Respondo 100% dos comentários que recebo!

Compartilhe esse guia com seus amigos e contatos. Ele pode salvar muitas pessoas da frustração da improdutividade e da tristeza causada pela sensação de não ser capaz de cumprir projetos.

Se você gostou do que aprendeu e deseja ir além, eu encorajo você a passar por um programa de coaching comigo. Posso transformar você em uma pessoas altamente organizada e produtiva, capaz de alcançar tudo o que sempre sonhou!

Clique na imagem abaixo para obter todas as informações e agendar uma primeira sessão gratuitamente!

Coaching com André Valongueiro

16 Comentários


    1. Sou eu quem agradeço sua atenção e comentário, Jethro. Um abraço!

      Responder

  1. Parabéns pelo artigo, André! Muito bem escrito. O método é simples e objetivo, e portanto fácil de ser executado, como deve ser. Dividir tarefas e projetos em “pedaços” menores é algo que funcionou muito bem para mim. Um abraço!

    Responder

    1. Fala, Ivan. Muito obrigado! É tudo realmente muito simples e parece paradoxal que eu tenha escrito um artigo tão grande para ensinar isso. É que eu quis me certificar de que as pessoas realmente entendessem essa simplicidade e esse cuidado que levam os nossos projetos à conclusão.

      Um grande abraço e obrigado pela participação!

      Responder

  2. André, os seus artigos são tão completos que parecem o capítulo de um livro. Excelente conteúdo.

    Responder

    1. Fala, Alessandro! Faço um grande esforço para produzir artigos realmente úteis e completos. Dá um trabalho desgraçado, mas realmente gosto de fazer isso. Torço para que o que você aprendeu aqui faça diferença nos seus projetos e na sua vida!

      Um grande abraço!

      Responder

  3. Olá, André!

    Assuntos como planejamento, organização, foco, produtividade e outros relacionados me interessam muito e os vi neste artigo, que aborda sobre como elaborar um projeto e colocá-lo em prática. Também concordo que, se fizermos algo menor, fica mais fácil de realizar e de celebrar as vitórias, tendo a possibilidade de tornar um grande projeto um conjunto de projetos menores.

    Um fato interessante é que estou com planos para deixar o meu emprego atual e mudar de cidade. Este artigo não poderia vir em um momento mais oportuno.

    Gratidão por compartilhar! Grande abraço e sucesso!

    Responder

    1. Fala, Fabio! Mil desculpas pela demora em responder. Estive numa longa aventura por pequenas cidades do interior e litoral do Vietnã e só hoje retornei ao trabalho.

      Espero que as lições do artigo ajudem você nessa mudança de emprego e cidade. Esse é o tipo de projeto que realmente precisa ser muito bem pensado, planejado e executado. Tenho certeza de que o que mostrei aqui pode ser útil, pois eu mesmo já realizei projetos semelhantes usando esse método.

      Te desejo toda sorte e sucesso. Se precisa de algo é só escrever aqui, OK?

      Um abraço!

      Responder

  4. Parabéns André. Como eu sempre digo, saber que você escreveu algo novo é sempre uma boa notícia. Hoje mesmo comendo pizza com um grande amigo, ele me falou de como anda se sentindo inquieto mesmo sem algum motivo aparente. Apresentei a ele o seu livro das “55 meditações e broncas” e após ler algumas poucas frases do livro, ele já demonstrou interesse em ler o restante e conversamos um pouco sobre como toda a ausência de ordem e tranquilidade tem tirado a paz das pessoas sem elas perceberem.

    Separei um tempo de qualidade para ler do início ao fim o guia acima e como não poderia deixar de ser, fiquei muito satisfeito. Veio em boa hora, estou iniciando um projeto na área de educação e suas dicas certamente agregaram muito ao meus planejamentos.
    Ficou uma curiosidade: qual foi a surpresa desagradável no momento da renovação do visto? Se puder, compartilhe conosco rsrs.

    Grande abraço e sucesso sempre

    Responder

    1. Fala, Renato! Obrigado, meu velho! Sua opinião é sempre muito importante. E obrigado pela indicação do meu livro ao seu amigo! 🙂

      Ah, a surpresa desagradável foi que só pude estender o meu visto na Tailândia por mais 7 dias – e não 30, como eu previa –, o que me fez exceder o tempo de permanência no país em 1 dia. No final deu tudo certo e não tive nenhum problema com a imigração do país, que me tratou super bem e nem me cobrou a multa devida. Eu não queria ultrapassar o tempo de permanência, já que tenho planos de morar um tempo na Tailândia ainda esse ano e não queria me “sujar” com a imigração, mas acho que não terei problemas em aplicar para um visto de maior duração.

      Quando recebi a notícia de que só poderia ficar mais 7 dias no país eu fiquei meio desorientando, pois todo o meu planejamento precisaria ser refeito, mas logo me acalmei, sentei num café e comecei a reestruturar todo o planejamento usando o mesmo método apresentado no artigo. No final deu tudo certo! 😉

      Um abraço, Renato! Se cuida!

      Responder

  5. André, você sempre está se superando. Onde isso vai parar? 😀

    Esse é talvez o melhor artigo que li sobre o assunto nos últimos anos. Parabéns! Senti falta de algum comentário ou de recomendações de ferramentas para organizar todo esse trabalho intelectual de estruturação dos projetos, mas talvez você esteja pensando nisso para um próximo artigo, não sei.

    Muito obrigada pelo conteúdo, para mim ele foi super importante. Vou começar a colocar tudo em prática agora mesmo. Continue seu lindo trabalho. Um beijo.

    Responder

    1. Oi, Cecília. Que maravilha receber esse comentário! 🙂

      Na verdade eu pensei em escrever uma parte sobre ferramentas nesse artigo, mas como já o estava escrevendo há muitos dias e ele já estava enorme eu preferir deixar para escrever uma atualização mais adiante. Farei isso.

      Espero que já esteja colocando tudo em prática e colhendo resultados. Torço por você!

      Um abraço e conte comigo para o que precisar!

      Responder

  6. Olá, André!
    Parabéns por mais um artigo excelente!
    Achei muito interessante a parte que fala sobre plano de vida. Se for possível, escreva um artigo sobre ele.
    Bom passeio no Vietnã.
    Abraço.

    Responder

    1. Obrigado, Sérgio! Escrever sobre o Plano de Vida está nos meus planos e certamente farei isso adiante. No entanto, se você sente urgência em construir o seu próprio Plano de Vida, recomendo que me procure e participe do meu programa de coaching “Vida: Propósito, Sentido e Direção”. Vai te ajudar muito!

      O link com todas as informações é esse: https://www.valongueiro.com//coaching-proposito/

      Um grande abraço e obrigado pela presença! Se cuide!

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *